White Paper CAST: Experiência sem dificuldades
vs. conteúdo valioso

White Paper CAST: Experiência sem dificuldades
vs. conteúdo valioso

Como equilibrar uma experiência sem dificuldades e conteúdo valioso para o hóspede

Um ensaio sobre como o hóspede pode obter o seu conteúdo preferido sem complicações

 

Neste artigo compartilharemos o nosso conhecimento sobre os desafios da implementação de soluções com conteúdo de elevado interesse e de fácil utilização para o hóspede. A equipa de Gestão de Produto da Nonius tem estudado vários cenários de integração que os nossos clientes apresentam e neste documento resumimos as nossas conclusões.

Vamos apresentar:

  • Como classificamos os cenários de integração relativamente à sua dificuldade de utilização;
  • Como os hóspedes valorizam o conteúdo disponibilizado em cada cenário.

O diagrama abaixo representa o que a Nonius chama de “Quadrante da Experiência do Hóspede”, que foi concebido com base no feedback dos nossos clientes e da nossa equipa de especialistas mas, uma vez que as opiniões na indústria Hoteleira podem ser divergentes, será bem-vindo qualquer feedback (por favor enviar para cto@noniussoftware.com).

O gráfico abaixo resume os resultados do nosso estudo e o modo como a dificuldade de utilização e o valor do conteúdo variam de acordo com o tipo de integração utilizada. É importante salientar que todos estes cenários de integração são fornecidos pela Nonius, podem coexistir e estão implementados em vários clientes nossos. Os cenários analisados variam das soluções mais maduras até às mais recentes em que se usa o Chromecast, privilegiando o conteúdo do próprio hóspede.

Vamos descrever cada um destes cenários de integração e, para cada caso, explicar o raciocínio usado para a sua classificação em termos de valor de conteúdo e dificuldade de utilização, explicando assim a razão do seu posicionamento neste quadrante.

 

1. Emparelhamento de Chromecast através de Portal WiFi e PMS

Neste cenário, o emparelhamento entre o dispositivo do hóspede e o Chromecast é feito através do Portal WiFi. Não há dificuldade adicional para obter a funcionalidade de casting, assumindo que o WiFi do hóspede já usa autenticação por Número de Quarto e Sobrenome.

O endereço MAC do dispositivo do hóspede é armazenado no momento do login à rede WiFi não sendo necessária mais nenhuma ação. O processo é muito simples… O hóspede apenas tem de clicar no botão de casting que pode ser visto na imagem abaixo:

Não existe necessidade de ter um sistema IPTV instalado. O local apenas necessita de cobertura WiFi suficiente e de um aparelho de rede (o Cast Controller) que consegue controlar e gerir o tráfego entre os dispositivos dos hóspedes e o Chromecast do quarto.

O conteúdo é da escolha do próprio hóspede, apps como Netflix, YouTube, Spotify, etc. ou conteúdo produzido por ele mesmo como o Google Photos. Este é o conteúdo que os hóspedes têm em sua casa e que realmente valorizam, ao ponto de pagar pela sua subscrição.

 

2. Emparelhamento Chromecast através do QR code

O emparelhamento entre o dispositivo do hóspede e o Chromecast é feito usando um QR code. O hóspede deve usar o seu dispositivo móvel para ler o QR code que é apresentado na TV.

A dificuldade de utilização é maior do que no cenário 1. Este cenário é usado quando não é possível recolher os endereços MAC através do portal WiFi e existe um sistema IPTV disponível para apresentar os QR code. Os códigos também podem ser impressos e entregues ao hóspede, mas isso requer mais tempo gasto pelo staff do hotel para manter a solução. Assim, não consideramos essa opção para este estudo. O valor do conteúdo é igual ao do primeiro cenário.

 

3. Emparelhamento Chromecast através de URL

O emparelhamento entre o dispositivo do hóspede e o Chromecast é feito inserindo um link URL no browser (ex. http://cast/abcd).

Este cenário é equivalente ao do QR code, mas soluciona o problema do hóspede não ter leitor de QR code ou não o saber utilizar. A dificuldade é maior do que nos cenários 1 e 2 porque inserir links de URL no browser do smartphone está muito longe de ser considerado uma solução intuitiva.

Realçamos que a URL contém um código (no exemplo “abcd”) que é um código hash do número do quarto e que garante que o hóspede não irá emparelhar o seu dispositivo com a TV do quarto vizinho.

O hóspede tem acesso ao mesmo conteúdo dos cenários 1 e 2.

 

4. Chromecast Built-in

A Google incorporou em algumas marcas de TV sua solução de casting, no entanto, para que o controlo dos conteúdos de algumas aplicações possa ser realizado através do dispositivo móvel, é necessário que o hóspede faça  o login diretamente nas apps da TV antes de ter acesso ao casting (ex. Netflix). Assim, a dificuldade é maior e o hóspede pode se sentir inseguro por ter que introduzir as suas informações pessoais na TV que será utilizada por outras pessoas. Não consideramos a dificuldade ainda maior, uma vez que esta integração permite que o hóspede controle a TV usando o comando do quarto, opção não possível nos cenários 1, 2 e 3. Nesta solução, o valor do conteúdo é mais baixo do que no uso do Chromecast, porque as Smart TVs hoteleiras têm menos apps disponíveis do que as que estão presentes nos dispositivos dos hóspedes.

 

5. Apps nativas de TV

Os hóspedes devem fazer o login diretamente nas apps da TV usando o comando, possibilidade que a maioria dos hóspedes apreciará. O comando é excelente para navegação básica mas não para inserir credenciais na TV. Ninguém quer inserir uma password numa TV de um quarto de hotel.

Portanto, a dificuldade é elevada e o hóspede poderá até expressar alguma preocupação em relação à segurança dos seus dados ao introduzir as credenciais na TV. Algumas apps podem também ser controladas pelo dispositivo móvel, como por exemplo, a app móvel do YouTube pode controlar a app YouTube da TV após o emparelhamento com código. Após emparelhamento, as apps de TV comportam-se de forma semelhante ao receptor Chromecast.

Nota: Neste estudo, quando mencionamos apps, estamos essencialmente a falar de apps para música e vídeo, com conteúdo pago ou subscrito: Netflix, Spotify, YouTube, etc.

 

6. Sincronização áudio por Bluetooth

O emparelhamento é feito usando um PIN, tal como no sistema de áudio do carro! A dificuldade de utilização não é elevada e as pessoas estão habituadas a este processo. O conteúdo é o do próprio hóspede (ex. Spotify) e, apesar de apenas proporcionar áudio (música, audiobooks, podcasts, etc.), tem o lado positivo de ser universal! Qualquer dispositivo e qualquer fonte de música funcionará normalmente.

Recomendamos que esta opção esteja sempre disponível independentemente de outras.

 

7. VoD/PPV

O serviço VoD em IPTV tem poucas dificuldades. O hóspede apenas necessita de alguns clicks no comando da TV para ver um filme. O problema é que a biblioteca não é vasta, apesar de ter frequentemente boa qualidade. A verdadeira limitação é que não se disponibiliza o conteúdo do próprio hóspede. Recomendamos que se houver sistema de IPTV em funcionamento, o hotel tenha VoD e Pay per View linear, uma vez que não tem custos e que pode coexistir com qualquer outra opção.

 

Qual cenário implementar?

Agora que viu todas estas opções, está provavelmente a questionar-se: posso combinar cenários? Qual devo selecionar?

Os fornecedores têm produtos para construir a maioria destes cenários (no caso da Nonius, todos).

A decisão de implementar um cenário específico deverá ser equacionado na eventualidade da existência de restrições na infraestrutura.

É com base nestas restrições que os fornecedores tecnológicos disponibilizam opções para integrar soluções de casting que podem funcionar também com soluções mais convencionais para fornecer conteúdo ao hóspede (TV linear ou VoD).

Podemos ajudá-lo a decidir qual a combinação certa para o seu orçamento e infraestrutura.

 

O produto principal de uma solução casting

Para conseguir oferecer todas as opções que os clientes procuravam, a Nonius desenvolveu um software capaz de providenciar todas as funcionalidades e que é integrado com o produto WGS20K.

 

O Cast Controller proporciona:

  • Tunneling de tráfego desde a rede WiFi do hóspede até o Chromecast. Não necessita de características avançadas de rede como VLANs dinâmicas. É possível usar apenas um SSID para todos os dongles Chromecast para simplificar a rede e a implementação;
  • Mecanismos de emparelhamento flexíveis. Possibilita aos hotéis sem IPTV ou Smart TVs de hotelaria proporcionar casting aos seus hóspedes;
  • Gestão de dispositivos (Chromecast dongles e dispositivos do hóspede);
  • API de Cast com qualquer fornecedor de Gestão de Acesso à Internet (GIA);
  • Integração com Dashboard para Monitorização, Deteção de interferências, Relatórios e análise de ROI.

 

Contate-nos para saber mais sobre este estudo. Estaremos disponíveis para responder a todas as questões e ouvir o seu feedback!

 

CONTATE-NOS!

 

VER NEWSLETTER